Vocês devem estar se perguntando o motivo de eu ter reunido todos vocês aqui

Começar uma nova fase da vida é sempre um desafio. Quando eu descobri que estava grávida, eu já́ tinha começado algumas novas fases. Saí da casa dos meus pais, mudei da cidade onde cresci, encontrei o amor da minha vida, casei “cedo”. Parece que tudo que fiz, foi de uma maneira diferente, única, minha. Mas eu sempre fiz. Sem medo, sem arrependimentos – ou talvez alguns.

Quando eu descobri que estava grávida, sabia que seria uma nova fase e, com ela, novas decisões, novos padrões a serem quebrados, novas mudanças. Mas eu nunca imaginei que as mudanças seriam nesse nível. De longe, a coisa mais incrível que já́ fiz foi ter me tornado mãe. Foram nove meses de puro aprendizado, paciência, nervos à flor da pele, risadas, carinho, fotos e momentos em que eu e o Déco, meu marido, descobrimos o amor de uma forma diferente. Aprendemos a ver a vida com um olhar diferente.

Nesse processo, a decisão mais difícil que eu tomei foi parar tudo que estava fazendo e exclusivamente cuidar do meu filho. É difícil explicar como eu cheguei nela, mas ela faz parte de todo um processo que estava me preparando para o que eu quero agora: uma vida mais calma, cheia de momentos em que vivi absolutamente dentro deles.

Tem horas que ter tomado essa decisão é difícil. Pesa. Eu me pergunto se fiz certo em parar de trabalhar, se não deveria focar na minha carreira. Quando engravidei, já́ admirava mulheres que conseguem trabalhar e ser mães o dia todo. Agora que eu sei o trabalho que essas coisinhas maravilhosas dão, eu admiro mais ainda. Para mim, vocês já́ venceram na vida.

Eu aproveitei essa decisão para me redescobrir. Eu não sou a Bruna que era antes. Não gosto das coisas que gostava. De algumas, eu gosto. Eu sei que sou mais do que “mãe”. Sou a Bruna, que é mãe, mas também é amiga, irmã, artesã, cozinheira, fotógrafa de Instagram. Eu sou a melhor mãe que eu posso ser, mesmo não sabendo direito como ser ou quem eu sou.

E quer saber? Tá tudo bem eu não saber nada disso. Esse processo e essas descobertas estão me tornando uma nova pessoa. Eu tô aprendendo que a chave para tudo nessa vida é parar, respirar e encontrar o ritmo da minha própria caminhada. Eu tô aprendendo a acreditar em mim mesma, na minha capacidade, nos meus instintos, no meu potencial.

E com isso, eu aprendi a aceitar o que vem de encontro com os meus dias e a buscar as coisas que me parecem certas. Foi assim que eu entendi que ficar esperando para descobrir todas essas coisas sozinha era muito chato. Eu quero compartilhar. Eu quero crescer junto. Eu quero começar agora.

Por isso, convido vocês para participarem desse processo. Para se redescobrirem, para entenderem quem vocês são, do que vocês gostam. Para nos envolvermos daquilo que a gente ama e, juntos, aprendermos que a vida é bem mais simples do que a gente imagina – e muito mais legal por isso.

Sejam bem-vindos ao meu caminho.

 

(No final, era só pra dizer que eu também não sei o porquê.)

(Visited 507 times, 1 visits today)

16 Comments

  1. Lu Cordeiro 3 de julho de 2017 at 13:27

    Ver vc crescer assim me enche de emoções variadas, satisfação, orgulho, expectativas…ver vc colocar pra fora a criatividade me faz renovar as minhas, saber que esta no nosso sangue, que isso vem natural, que é o que nos faz nos sentirmos de bem com a vida! Que esse inicio de nova fase venha com ainda mais descobertas agradaveis e que o Leon possa ter isso como um diario da vida dele e que ele sinta que foi amado! Te amo!

    Reply
    1. bru galliano 5 de julho de 2017 at 16:24

      Eu sempre lembro de você desenhando, fazendo seus projetos e produtos na época de faculdade e lembro de ficar imaginando o quão legal deveria ser ser adulto e poder desenhar e criar coisas!
      Deve ser um dos motivos que sempre me imaginei fazendo coisas assim…eternamente sua fã nº1, né?!

      Reply
  2. Maíra Arcoverde 3 de julho de 2017 at 13:44

    que texto lindo, Bru!

    o caminho, no fim das contas, é bem mais importante do que a chegada. e qualquer coisa, é só pegar outras trilhas e mudar de paisagem.

    <3

    Reply
    1. bru galliano 5 de julho de 2017 at 16:25

      Sim!!! Tem tanto caminho pra gente fazer, né?!
      Mudar é sempre bom!

      Reply
  3. Paloma Assef 3 de julho de 2017 at 14:03

    Tá tudo bem mesmo, a vida é muito mais sobre fazer perguntas do que ter certezas sobre respostas. 😉

    Reply
    1. bru galliano 5 de julho de 2017 at 16:32

      Sabendo fazer a pergunta certa, já tá mais de meio caminho andado, né?!
      <3

      Reply
  4. Cristiane Vieira Gozzo 3 de julho de 2017 at 22:06

    Uma amiga fazendo contas comigo pra calcular quando aposento, me diz que tenho um hiato na minha trajetória profissional. Respondo que foi o melhor hiato de todos: quatro anos curtindo o Déco. Aproveite como estás. Orgulho de ti!

    Reply
    1. bru galliano 5 de julho de 2017 at 16:33

      Tem dias que cansa mais que os outros (tipo hoje, que estou prestes a bater minha própria cabeça na parede), mas é muito bom, mesmo!

      Reply
  5. Simone Galliano 3 de julho de 2017 at 23:05

    Que texto verdadeiro…
    Conhecendo você, como eu conheço, não me admiro que tenha feito esta escolha!!!
    Você sempre foi intensa em tudo que fez, e ter um filho é muito mais intenso que qualquer coisa que possa passar…
    Cada coisa a seu tempo, você não vai se arrepender desta escolha nunca, siga sempre seu coração minha filha, porque sei que ele é guiado por Deus!
    E tudo bem você se redescobrir, saber o que você quer, quem é você, etc… porque a gente passa por isso em muitas fases da vida, e isso é muito positivo, porque cada descoberta é um renovo!
    Desejo que sua criatividade e a sua intensidade, te faça sempre feliz!!!
    Te amo!

    Reply
    1. bru galliano 5 de julho de 2017 at 16:35

      Obrigada, mãe!!!
      Te amo e sabemos bem de onde veio meu sangue criativo, né?!
      <3

      Reply
  6. Soban 3 de julho de 2017 at 23:29

    Que lindo Bru. Me identifiquei muito com o seu texto. Sucesso pra você. Slow down o mundo por favor. E um beijão pros três.

    Reply
    1. bru galliano 5 de julho de 2017 at 18:34

      Eeee, querido!!! Que bom que gostou. Pra viver em São Paulo e ser feliz, só diminuindo o ritmo mesmo! Hahaha

      Reply
  7. Alice Bettencourt 4 de julho de 2017 at 14:46

    Adorei, Bru. Eu sinto que preciso me redescobrir também, mudei de cidade, formei família, mudei de área de atuação, vou fazer 30, etc. Não sei também do que eu gosto, principalmente com roupa. Sinto que as coisas representa a Alice de cinco anos atrás. Com as coisas de casa até acho que sei, mas não sei. Imagina quando for eu mãe? Vou ter que me redescobrir de novo! Mas a vida é isso, né?! É gostoso.

    Reply
    1. bru galliano 5 de julho de 2017 at 18:35

      Olha, também tô ultra perdida na questão estilo. Mas assim, ultra perdida MESMO. Vou ver se arranjo alguma amiga consultora pra escrever um post salvação aqui pra gente!

      Reply
  8. Tati Favaro 4 de julho de 2017 at 14:48

    Bóra mergulhar contigo. Mães mergulhadoras unidas jamais serão vencidas! Amei!

    Reply
    1. bru galliano 5 de julho de 2017 at 18:35

      Super! Sem essa rede materna, fica difícil viver, né?!
      Hehehe
      <3

      Reply

Leave A Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *